fbpx

5 Dicas na hora de se Escolher o Fermento

E AGORA, QUAL FERMENTO ESCOLHER?


O resultado final da cada cerveja é resultado de uma série de iteração extremamente complexas e quando o cervejeiro seleciona o fermento que utilizará na sua receita é preciso que ele se atente a uma série de características da cepa escolhida.


1 – Tipo: Existem 3 principais grupos de fermentos – Ale, Lager, Weizen. Os membros desse grupo são similiares em termos de estrutura genética e performance. A escolha do fermento correto para o tipo de cerveja é fundamental e o primeiro critério a ser decidido.


2 – Sabores: Cada cepas irá produzir diferentes sabores que dependendo do tipo de fermento podem resultar em cervejas maltadas, lupuladas, frutadas, sulforosas, doce, seca, neutra. É importante saber o que esperar do fermento escolhido.


3 – Atenuação: consiste na quantidade de açúcares disponíveis no mosto que será consumida pela cepa em particular. Para cada combinação de açúcares fermentescíveis no mosto cada levedura terá uma característica de fermentação. Algumas cervejas pedem mais atenuação, outras menos.


4 – Temperatura de fermentação: A temperatura assertiva e constante é fundamental para um bom resultado final. Não devem ocorrer variações bruscas de temperatura em nenhum momento.


5 – Floculação: A fluculção ocorre quando as células individuais se agrupam e descem para o fundo do fermentador. Fermentos de floculação alta irão produzir cervejas mais límpidas, enquanto os de baixa floculação apresentaram elevada turbidez. A floculação pode inclusive influenciar o grau alcoólico da cerveja.


E olha que essas são só algumas das variáveis a se atentar ao longo do processo de fermentação! Mas sem medo! No mundo das artesanais é tudo sobre experimentação!

Deixe um comentário